terça-feira, 12 de junho de 2012

AMOR DE CINEMA!!!

Gentemmm, para este Dia dos Namorados eu trouxe um texto de Renné França, publicado na Revista Gloss de Junho/2012... Amor de Cinema... eu achei muito lindo!!!
"Jack beija Rose na proa do Titanic. Um casal de robozinhos dança no espeço em Wall-E. Henry conquista a desmemoriada Lucy todos os dias em Como Se Fosse a Primeira Vez. As imagens do cinema se escondem nas nossas memórias. E assim-sem que a gente perceba-elas se tornam referência para nossa vida. Quem nunca quis viver um grande amor? Encontrar o príncipe encantado, que pode tanto ser um milionário de Uma Linda Mulher ou um príncipe mesmo, como o Caspian, de As Crônicas de Nárnia. Sonhamos com um romance arrebatador, um amor impossível, um beijo na chuva com a pessoa perfeita. Mas todas essas histórias de amor da tela são produzidas, iluminadas, recortadas, montadas. O que aconteceu com alguns daqueles casais depois que o filme acabou? Jerry Maguire e Dorothy chegaram a fazer bodas de prata? O amor de cinema é perfeito porque foi pensado para ser assim. Vemos só a melhor parte, os grandes momentos (bons ou ruins), longe do relacionamento cotidiano. É como se apenas existisse o amor, sem marasmo, remela ou contas para pagar. Rose se acostumaria com a pobreza de Jack? Henry nunca perdeu a paciência com sua mulher sem memória? Nos bastidores do famoso beijo entre Scarlett e Reth, no clássico E o Vento Levou, corria o rumor de que a atriz Vivien Leigh não suportava o mau hálito de Clark Gable e sentiu náuseas na hora de fazer a cena. Mas na tela está tudo lá, impecável. Mau hálito não cabe em um romance de cinema. Agora imagine se você pudesse esconder os "bastidores" da sua vida. Tirar fora os momentos mais chatinhos e editar tudo, concentrando-se apenas nos principais. O que jogaria no lixo da sua sala de edição? Como regravaria sua grande cena se pudesse voltar e fazer tudo de novo?
Pode parecer tentador, mas a graça toda está justamente em não precisarmos seguir nenhum roteiro. É no dia a dia, nos momentos simples, que nosso amor acontece de verdade. Amar nos entreatos, depois da abertura e antes do clímax: esta aí a verdadeira magia para nós que habitamos o lado de cá da tela. Afinal, a vida é um plano-sequência- eis a nossa grande, e única, cena."
♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥

2 comentários:

  1. Boaaaaaaa, pra quem vive esperendo um principe encantado, e não conseguem enxergar o que está perto.

    ResponderExcluir
  2. Muito bom este texto, gostei de verdade!

    ResponderExcluir